Carta à minha mãe!

Mãe querida,
você é wonderfull, aliás mais que isso, você é motherfull.
OBRIGADA. Poderia fazer uma lista enorme do  “por que agradecer mamãe”. Como não tenho tempo, escreverei aqueles motivos que considero mais importantes.
Primeiramente, sendo a segunda filha, agradeço pela coragem de vocês terem encarado a segunda cria. Digo vocês, por você não ter feito isso sozinha. Nós mulheres/mães somos TUDO, menos hemafroditas. Pelo menos assim os homens participam um pouco mais da criação (literalmente), ainda que seja com o “paraíso” e não o “padecer”.
Segundo, por você ter me tido de parto normal. Isso já representou um ótimo começo.
Terceiro, por você ter agüentado as briguinhas chatíssimas dos filhos. Isso é muito desagradável (ainda vou escrever um texto só sobre isso). Estou tendo que aprender como agir em relação aos conflitos gerados na luta pelo poder. O poder de encher o saco, o poder bater no outro, o poder de achar que pode quando não pode. Acho que você soube bem como e quando intervir nas minhas brigas com o Lu*. Entre mortos e feridos conseguimos sair disso com todos os membros do corpo. Quarto, por você ter sido paciente comigo na minha adolescência (sem grandes comentários, afinal ser mãe de adolescente ninguém merece). Quinto, por você ter sabido compreender que eu precisava ir embora quando chegou minha hora de voar. Fiz que nem a andorinha, fui buscar outro verão… E eu não voei pra perto, atravessei o oceano e fui parar na Alemanha. Como se isso não bastasse, não passei um, mas oito verões. (Se a Isis fizer isso comigo, eu vou esquecer que ela é minha filha, mãe bem rancorosa mesmo!). Sexto, por você ser essa avó deliciosa que você é!!! Eles te adoram! É bom poder emprestar pra você os dois, mesmo que seja com  pouca freqüencia.
E sétimo, oitavo, nono e décimo e décimo primeiro, segundo, terceiro …. e assim vai, por você ser essa minha mãe querida (não só minha e do Lu, mas do papai também) e não podia ser melhor!
Mãe te amo! (final emocionado)

*Lu é o meu irmão

This entry was posted on Sunday, August 16th, 2009 at 04:03 and is filed under ser mãe. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply